Como empreender no mercado de alimentação fora do lar?

Já trabalha como autônomo, mas deseja ampliar os seus ganhos, porém não sabe como começar? Saiba como o setor de alimentação fora do lar pode levar você a ter uma verdadeira independência financeira!

A constante necessidade de trabalhar fora e desejar manter uma vida saudável têm levado muitos brasileiros, sobretudo os solteiros, a comerem nos estabelecimentos comerciais. Junto a isso, eles estão mais exigentes com qualidade, eficiência e preço justo. Como aproveitar essa oportunidade e atender a essa demanda de clientes?

Montar o próprio negócio, alcançar a independência financeira é o desejo de todo empreendedor que batalha para ganhar o pão de cada dia. Contudo, é importante estar aberto para pesquisar e adquirir novas habilidades, a fim de ser mais competitivo e atender com eficiência a esse público específico.

É sobre essa perspectiva que abordaremos neste artigo. Continue a leitura que ela está imperdível e com sabor de quero mais!

Entenda sobre as expectativas no setor de alimentação fora do lar

Você sabia que o brasileiro está, cada vez mais, buscando viver uma experiência gastronômica? Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), divulgados pela Foodnews, 25% da renda dos brasileiros são destinados à alimentação na rua. Isso significa que o brasileiro está comendo mais fora de casa. Sem dizer que, a média de crescimento desse setor foi de R$170 bilhões, ao ano, nos últimos dez anos.

Em meio a isso, destacamos que o brasileiro está optando por uma alimentação saudável, prezando pela qualidade e pela sustentabilidade. Por exemplo, entra para esse setor, os salgados recheados com legumes orgânicos ou aquele sorvete diet.

Outro fator determinante é que nem sempre o preço supera o valor do momento, que a pessoa sente ao viver a experiência gastronômica. Por tudo isso, esse setor está expandindo e para o empreendedor se dá bem nesse cenário deve buscar o constante aprimoramento profissional. Continue a leitura e veja dicas preciosas para você ter cada vez mais sucesso com seu empreendimento.

Confira as melhores dicas para empreender

Dentre muitas, selecionamos as melhores e mais práticas. Fique tranquilo que explicaremos, de forma didática, como aplicá-la na gestão do seu negócio. Veja!

Conhecer o mercado

A princípio o empreendedor deve conhecer o mercado de alimentação fora do lar. Assim, ele deve fazer uma pesquisa de consumo na sua região e estudar os sites sobre a área. Desse modo, você fica por dentro das oportunidades que o mercado oferece, as expectativas para os próximos anos e o uso da tecnologia para ganhar mais competitividade nesse setor.

Entender as necessidades do público

Depois de identificar as oportunidades do setor, você deve estudar as carências do público que desejas alcançar. Como vimos, o brasileiro preza pela experiência e por uma vida mais saudável. Logo, se optar por vender salgados mais saudáveis você tem opção para oferecer em bares, inclusive se já tiver uma máquina é ainda melhor.

Outra dica é você segmentar e escolher um público focando na faixa etária e por hábitos de consumo. Suponhamos que você queira atingir um público entre 18 e 49 anos. Assim, verifique se eles estão solteiros, moram sozinhos, fazem academia e preferem alimentos mais orgânicos. Também, você deve acompanhar o comportamento desse público nas redes sociais e transformar a necessidade dele em lucratividade para o seu negócio. 

Investir em qualificação

Agora, de nada resolve estudar o mercado e atender as necessidades dos clientes, se o empreendedor não buscar o constante aprimoramento profissional para crescer e estruturar ainda mais esse negócio.

Hoje, já existem excelentes cursos de gestão com práticas para reduzir os custos de produção e que visam aumentar a lucratividade. Esses cursos ensinam como abrir uma empresa, controlar os custos, realizar o planejamento e controle financeiro. Além de mostrar a importância da obrigatoriedade fiscal, marketing para divulgar os seus serviços e muito mais.

Estruturar o negócio

Sem planejamento e execução nada sai do papel, a dica é você estruturar o seu negócio. Vamos continuar no exemplo do salgado. Agora que você já sabe o público, entende os aspectos para gerir um negócio, você deve estruturar o seu empreendimento.

Planejar quem vai atender: pessoas físicas ou jurídicas, em bares ou restaurantes etc. Assim, as oportunidades são maiores do que se imagina! O planejamento e metas de vendas também são essenciais para você balancear os custos de produção (matérias-primas e insumos) e as receitas (vendas direta e terceirizada). Também, é necessário conhecer alguns fatores, como:

  • quantos salgados são vendidos diariamente, mensalmente e anualmente;
  • como produzir;
  • quantas matérias-primas são usadas por produção;
  • qual o tempo médio de fabricação;
  • quanto existe disponível em caixa.

Automatizar a produção

A fim de atender outros nichos, você pode verificar a possibilidade de usar máquinas de produção de salgados e aumentar os tipos produzidos, variando o recheio. Isso é ótimo, porque a máquina dá condições de você atender a todos os públicos. Assim, você produz e vende mais, e por não precisar contratar mão de obra extra, os custos são menores. Pois a sua produção se torna escalável e automática, e o melhor, sobra mais tempo para focar no crescimento do seu negócio.

Controlar as suas finanças

Como já falamos de automatizar os processos, antes de qualquer coisa, você precisa ficar atento ao seu orçamento financeiro e nunca misturar com as finanças do seu negócio.

Para isso, você deve separar duas planilhas nas quais relaciona todas as informações de receitas (o que entra) e despesas (o que sai) em cada uma delas. Dessa forma, destina-se uma para o controle financeiro do negócio e a outra para o seu orçamento pessoal. Logo, sempre que entrar e sair, você vai preenchendo a planilha e todos os dias confere os valores.

É preciso destacar que, às vezes, acontece do empreendedor vender uma boa quantidade e em vez de investir no negócio, por exemplo, comprar maquinário ou ampliar a oferta de produtos, ele usa o dinheiro para pagar despesas pessoais. Isso compromete a saúde financeira do seu negócio, afinal, ele precisa ter dinheiro em caixa para imprevistos.

Vamos supor que você receba uma grande demanda de produção e as suas matérias-primas acabaram. Porém, você contava com um dinheiro que entraria, mas por algum motivo, esse pagamento foi atrasado. Ter uma reserva em dinheiro já resolveria esse incidente. Para isso damos o nome de capital de giro, um dinheiro destinado para cobrir as contas de curto, médio e longo prazo. Ele é essencial para você comprar as matérias-primas em casos de muita demanda.

No geral, o setor de alimentação fora do lar é promissor e com uma crescente expectativa. Assim sendo, a pessoa que abraçar essa oportunidade, focar nas necessidades dos clientes e estiver aberto a adquirir novos conhecimentos será um empreendedor de sucesso.

Então, você entendeu mais sobre o setor de alimentos fora de casa? Você já pensou a respeito disso? Compartilhe suas dúvidas e experiências conosco nos comentários!