Meu primeiro emprego

Meu primeiro registro na carteira profissional aconteceu em 1969 eu tinha 13 anos e para poder trabalhar minha mãe teve que ir comigo até o juizado de menores, passamos por uma entrevista que incluía até apresentar atestado de pobreza da família para justificar a necessidade de uma criança trabalhar naquela idade.
Carteira de trabalho a postos e lá vou eu procurar meu emprego, naquela época encontrar emprego não era algo tão difícil, e logo eu estava empregado na Codesbra-Corretora de Títulos e Valores do Banco Bradesco, sediado no Edifício Copan.Trabalhava como Office boy, do Dr Laldo Natel.

Cada dia para mim era uma aventura, imaginem um menino vindo da Brasilandia, atravessar São Paulo até o centro da cidade,eram quase duas horas de “viagem”, claro que naquela época não eram tantos prédios e o transito não era intenso, mas mesmo assim para mim tudo era mágico.

Minha função era de transportar os malotes da empresa que ás vezes era entregue na cobertura do Copan retirados de helicóptero, me sentia o próprio “Vigilante Rodoviário”.
Até que pouco tempo depois para a sorte do Laldo Natel e meu azar, ele foi eleito a Governador do Estado de São Paulo e eu infelizmente perdi meu emprego. Mas não desanimei, e logo estava empregado novamente, desta vez em uma Multinacional do setor de plásticos, a União Carbide do Brasil.
Comecei de baixo e ralei muito, comecei fazendo reposição de garrafas de café, mais de 60 garrafas que tinham que ser repostas 3 vezes ao dia. Depois virei o “Voltinha” pegava as correspondências internas separava e distribuía por setores. Depois disso virei o encarregado dos Borderôs, para quem nem tem idéia do que é isso, Borderôs são uma espécie de extrato bancários que eu entregava no setor financeiro,esses eram processados nos computadores. Eu percorria aproximadamente 18 bancos , a empresa me disponibiliza dinheiro para o táxi, mas como eu precisa de qualquer dinheiro extra, percorria o centro todo a pé para guardar o dinheiro. Corria muito pois era de extrema importância que esses chegassem o quanto antes, senão todo o setor financeiro ficava parado.
Nesse período tive a oportunidade de me aproximar de um dos Diretores da empresa, ele se chamava Dr. Jacobos Vancampem, era natural da Suíça e por muitas vezes permitia que o motorista dele me desse uma carona para escola. Nessas caronas ele ia no banco de trás contando sobre sua história difícil na Infância, e aquelas histórias me inspiravam, pois eu via a possibilidade de um dia ser como ele.
Fui nomeado chefe dos Office boys aos 17 anos, tinha uma equipe de 12 meninos que tinham entre 13 e 16 anos. E acumulava diversas funções alem do trabalho em período integral na empresa, eu estudava á noite e aos finais de semana ajudava meus pais com as vendas de bexiga em festas do interior de São Paulo.
Não posso dizer que foi uma infância dura, tenho orgulho do meu passado, toda essa perseverança me fez ser a pessoa que eu sou, por isso se hoje você acha que trabalha demais,não desista, a jornada as vezes é longa, mas só começa depois do primeiro passo.